FOLKFARO - Folclore Internacional Cidade de Faro


Go to content

Grupos

Edições Anteriores > 2012



BRASIL - Grupo "Frutos da Terra" (Olímpia)

Decididos a contar a história de um povo através da dança, trazendo para o presente lembranças e tradições de épocas longínquas, um grupo de jovens de Olímpia (São Paulo) criou, em 2007, o Grupo Parafolclórico Frutos da Terra. A constituição do repertório do grupo iniciou-se com um trabalho de pesquisas de danças, indumentárias e costumes do povo brasileiro. Através do contacto com diversos grupos brasileiros, o grupo alcançou o aperfeiçoamento técnico, enriquecimento e divulgação do Folclore Brasileiro.
O Grupo Frutos da Terra desloca-se pela primeira vez à Europa, exclusivamente para participar na onde se apresentará com música ao vivo e danças de várias regiões do Brasil. Os cerca de 30 participantes mostrarão a cultura da Dança dos Orixás ou Obaluaê, danças da região sudeste, danças nativas da Amazónia, entre muitas outras.




ESPANHA - Estampas Burgalesas (Burgos)

O grupo Estampas Burgalesas nasceu em 1979, a partir de um projeto de cerca de 90 entusiastas do folclore da cidade de Burgos. Procurou-se então revitalizar a prática das danças, cantares e costumes daquela província da Comunidade Autónoma de Castela e Leão.
Esta associação tem um grande número de membros de todas as idades, os quais persistem em manter a alegria e a emoção do momento da sua formação, norteados pela missão de difundir a rica cultura de Burgos.
Ao longo da sua história, tem recebido vários prémios de prestígio a nível nacional e internacional, destacando-se o "Colar de Prata" do Festival de Dijon (Espanha) e o "Machado de Ouro" para melhor arranjo musical no Festival de Zakopane (Polónia), entre outros.
Já representou o seu país em toda a Europa, e também em diversos países da Ásia, América do Norte e América do Sul. Em 1996, representou a Espanha no Festival de Praia Grande, no Brasil, cruzando-se aí com o Grupo Folclórico de Faro.




PERU - Associación Cultural Qhaswa (Lima)


A Associação Qhaswa foi fundada na capital do Perú - Lima - no ano de 2007. O seu principal objectivo é pesquisar, reavaliar, divulgar e procurar promover as tradições culturais do Peru através da música e da dança folclórica.

É composta por jovens bailarinos e músicos interessados em promover o património cultural e a sua rica diversidade. Qhaswa Peru, em quíchua significa "Festa e Dança". Apresenta danças com coreografias muito belas complementadas com um vestuário muito rico e vistoso executado pela via artesanal. Com uma forte experiência internacional representou o seu país em França, Espanha, Itália, Suíça e Portugal.




ROMÉNIA - Doina Timisului (Timisoara)

Conhecida por diferentes nomes através da Roménia, a "Doina" é um canto tradicional improvisado e espontâneo. Constituía a essência do folclore Romeno até 1900, e era o único género musical em muitas regiões do país. Em 1959, o conjunto "Doina TIMISULUI" nasceu, com finalidade de homenagear a criação artística popular, extremamente variada.
Fez tournées artísticas a mais de 20 países de todo o mundo, tendo participado nos mais importantes festivais do mundo, como o de Confolens, Passo Fundo, Dijon, Tóquio ou Drummondville.
Sob a orientação de especialistas de renome da Academia de Artes de Timisoara, e com base na pesquisa das tradições, lida com variados e autênticos materiais: danças e cantares originais bem como os costumes antigos são recriados em palco, em espetáculos com fortes vertentes artísticas e educativas.


UCRÂNIA - Volynyanka (Lutsk)

A Ucrânia é um país de quase 53 milhões de habitantes que resistiu, durante séculos, a todas as tentativas de absorção e assimilação por outras culturas, conseguindo manter a unidade da língua, da literatura e das artes.
O Grupo "Volynyanka" foi criado em 1959 pela Casa da Cultura de Lutsk, e é membro do CIOFF Ucrânia. Tem representado o seu país em diferentes festivais de folclore internacionais na Polónia, Hungria, Jugoslávia, Moldávia, Grécia, Turquia, Malta, Tunísia, Líbia, Alemanha, Áustria, Eslováquia, França, Israel, Espanha, Portugal, Itália, Luxemburgo, Grã-Bretanha, Suécia, China, Suíça e Rússia. A sua orquestra usa os instrumentos tradicionais ucranianos como "bugai", "koza" ou "nai" e também violinos, clarinete e contrabaixo.
O seu repertório é muito interessante e mostra a riqueza da cultura tradicional ucraniana. "Kladochka", "Hupaly", "Viterets" e diversas variantes da polca, são algumas das danças que apresenta. No entanto, destaca-se, pela sua espetacularidade, a "Hopak" - acrobática dança, com artísticas exibições individuais e de grupo. O seu nome deriva do verbo "hopaty", que significa "saltar" em ucraniano.



Sub-Menu:


Back to content | Back to main menu